Portal TudoJunto

Dançar é melhor para cérebro de idosos que exercícios, constata estudo

Além de divertido, dançar pode trazer mais benefícios para a saúde, veja.

08 de março de 2018
Por: Edson Filho

O estudo comparou os efeitos de dois programas de atividades físicas em uma pequena amostra de homens e mulheres saudáveis com idade média de 68 anos recrutada na área da cidade de Magdeburg, na Alemanha, e publicado no periódico científico de acesso aberto “Frontiers in Human Neuroscience”.

 

Os voluntários foram divididos em dois grupos no experimento: um se submeteu a um treinamento de resistência com exercícios aeróbicos, como pedalar em bicicletas ergométricas e a chamada caminhada nórdica, que une o uso de bastões semelhantes ao de esqui; enquanto o outro se dedicou a aulas de dança demandantes tanto do ponto de vista físico quanto mental, tendo que frequentemente aprender novas coreografias em ritmos como mambo, jazz e danças folclóricas. Ambas práticas tinham duração de 90 minutos, a princípio duas vezes por semana e depois semanalmente.

🎥 Casal de idosos dando um show em concurso de dança | YouTube

 

 

“Os exercícios têm o efeito benéfico de frearem ou mesmo reverterem o declínio nas capacidades física e mental que vêm com a idade”, destaca Kathrin Rehfeld, do Centro Alemão para Doenças Neurodegenerativas e da Universidade Otto von Guericke, ambos em Magdeburg, é líder da pesquisa.

 

“Neste estudo, mostramos que dois diferentes tipos de exercícios físicos, dança e treinamento de resistência, aumentam o volume de uma região do cérebro que diminui com o tempo. Mas, em comparação, só a dança levou a mudanças comportamentais notáveis em termos de melhoras no equilíbrio.” Completou.

 

📷 Balé | Roberto Moreyra

📷 Balé | Roberto Moreyra

 

 

Um problema é que ainda não é possível verificar em humanos se as atividades físicas regulares promoveram a chamada neurogênese – produção de novos neurônios – no hipocampo, como já foi observado em modelos com animais, nem a validade da segmentação desta região do cérebro nas subáreas usada na pesquisa. Mesmo assim, Kathrin aconselha a todos que quiserem se manter ativos e saudáveis tanto física quanto mentalmente a se levantarem e dançarem ao ritmo que mais gostarem.

 

“Acredito que todos gostariam de viver uma vida independente e saudável mais longa possível. A atividade física é uma prática que pode contribuir para isso ao combater diversos fatores de risco e frear o declínio da idade. E acho que a dança é uma ferramenta poderosa para apresentar novos desafios para o corpo e a mente, especialmente numa idade avançada.” Afirma Kathrin.

 

Já viu a nossa pesquisa de opinião dos leitores? Participe, é rapidinho, clique aqui.

 

Você também pode contribuir com nossas edições, nos enviando correções ou até um conteúdo completamente novo, para saber mais é só clicar aqui.


Palavras-chave: SAÚDE PESQUISAS CURIOSIDADES


Fonte: O Globo


 Contador de visitas desta publicação: 329 

Curta esta página ;)

Mencione o Portal TudoJunto!

Comentários:

Atenção: Os comentários são totalmente de responsabilidade de seus autores e podem não representar a nossa opinião! Caso queira comentar algo para nós no modo privado, prefira nossa página de Contato.


Continue navegando...